11 de março de 2014

Fins de semana são dias de longões e apertões


Chega o fim de semana e chegam os dias de fazer treinos longos. Sábado nem por isso, faz-se um treino normal, apenas uma hora. Mas a verdade é que no sábado, para ele, foi um dia difícil. As dores voltaram em força. Esta lesão tem sido como que um carrossel: ora melhora, e ele fica entusiasmado, ora piora, e ele desanima. Ele e eu. Que o vejo preocupado e apreensivo caso esta dor não dê tréguas.

Da minha parte, as coisas também não estão a 100%. Vira que não vira lá me começa também a doer a planta do pé esquerdo. Faço gelo, massajo com bola de golfe... E assim vamos andando... Dois coxos a tentar fazer o impossível. 

Domingo foi o primeiro treino em modo MDS: há que testar equipamento, há que adaptar o corpo ao terreno, há que correr carregado com 8kg e tudo isto... Durante quatro horas!

Ele levou tudo (quase) como se fosse fazer uma etapa da MDS. A mochila ia bem carregada, até a garrafa de água na parte da frente e os cantis frontais iam bem cheios. Até convém para contrabalançar o peso nas costas.

O equipamento também foi testado: desde o chapéu, aos calções e t-shirt, óculos, acabando nos ténis, meias e polainas. Tudo.




Prontinho para seguir viagem

E eu? Aproveitei a boleia e pensei: "correr na areia não me fará mal nenhum, bem pelo contrário. Será um treino duro. E é disso que eu preciso". Mas só vos digo: correr na areia não é p'ra meninas!! Epá, ia sendo o fim do mundo. Nunca tinha feito um treino na areia. Mas depois deste tenho a sensação reforçada de que não é mesmo nada fácil. 





Andou neste vai-vém durante quatro horas

A MDS, até do ponto de vista 'logístico' é desgastante: é muito pormenor para organizar, é muito detalhe para pensar. Chega a ser tão cansativo prepará-la quanto corrê-la. Acreditem.

Para terem uma ideia, desde a semana passada, o Paul Michel, todas as noites esfrega os pés com limão. Deixa secar e depois barra-os com creme gordo. Diz que é para criar uma espécie de protecção para o pé se adaptar melhor e resistir à fricção. Todas as noites este ritual.

Outro pormenor:  maioria dos problemas de saúde dos corredores durante a MDS estão relacionados com os pés. Geralmente são bolhas. Também já tem no seu kit de sobrevivência uma seringa e Betadine para furar e tratar bolhas, pois caso tenha de pedir assistência médica é penalizado. Sabiam? Enfim, esta prova é bastante complicada! Eu diria, hoje, que não é prova para mim! E olhem que já sonhei em fazê-la. Mas depois de ver o treino do Paul Michel, depois de ver a estratégia, depois de ver a logística... Até contas de cabeça o homem faz... Com o peso, com as calorias, com os materiais... Tudo entra na equação.

Comentei com ele: se algum dia for fazer esta prova tens de ir comigo para me organizares. A mim já me basta correr quanto mais pensar em tudo o resto.

Outro aspecto que preocupa é a desidratação, ainda mais numa prova que se realiza em ambiente quente e árido, como o deserto. Segundo a organização da MDS, a perda de sal através do suor pode chegar a 15gr. por dia.

Como repor? Pela alimentação? É pouco. Sugerem então que os atletas adicionem sal à água que consomem durante a prova (entre 1 a 3gr. de sal por litro de água). Para avaliar o estado de hidratação alertam para os principais sinais: o rendimento físico (que será um primeiro sinal) mas também à quantidade e cor da urina.









Para a semana há mais. Estamos a menos de um mês da prova. Ele vai eu fico. Ele vai correr e eu vou ficar a ver. Várias pessoas me perguntam, sem terem noção de que prova estamos a falar: "mas tu não vais? Nem podes ir lá vê-lo?"

Fica a explicação da organização: "because of the nature of the marathon's rules and its location (i.e., food self-sufficiency, desert, security), runner's supporters cannot access the event".

Etapa a etapa, à distância de um clique, irei acompanhar a chegada à meta. E todos os dias irei dizer aos meus filhos que o pai já chegou e que amanhã fará outra etapa. Assim... Sucessivamente durante sete dias seguidos.

18 comentários:

  1. Já tinha dito que admiro o Paul Michel por toda esta empreitada, e vou estar a torcer por ele daqui a aprox. 1 mês. A mim, embora tenha um respeito enorme por quem faz esta prova, não me fascina....tal como não me fascina aquele Ultra Maratona Melides-Troia ou lá como se chama....correr na areia não é a minha "praia" (o que não quer dizer que não a venha a fazer - a Melides- Troia, essa do Paul Michel não me parece).
    Toda a sorte do mundo, muita força...mas antes disse, que recuperem (os dois) dessas mazelas rapidamente.
    Abreijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Carlos!! Ao longo destes tempos também fui perdendo o encanto por esta prova! Tinha uma visão "romântica" da mesma mas que depressa se esfumou...
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Estou a enviar toda a energia positiva para que esse problema do Paul Michel desapareça de vez para poder estar a fazer refresh todos os dias até ver o nome dele na chegada.

    Muita e muita força para ele... e para ti que ficas cá a roer as unhas :)

    Beijinhos, Anabela e um abraço ao Paul Michel!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada João! Esse energia é importante, sabes bem disso. ;)
      Beijinhos

      Eliminar
  3. É preciso ter grande capacidade física e psicológica para suportar uma empreitada como aquela que o Paul vai fazer...Cá estaremos todos a apoiar para que conclua esse enorme desafio que vai ter pela frente. Força para o Paul Michel e para ti nessa grande maratona !!!
    Abraços e muitos e bons klms

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada Carlos! Contamos com esse apoio, claro!
      Beijinhos

      Eliminar
  4. Como já disse antes, Respect!
    De resto, tirando a obvia questão da auto-superação nada me diz.
    Mas ainda bem que há quem goste;
    Gostei dl purmaior da meinha, se dá para o Sá;).
    Toda o logística, o custo de correr na areia, o calor ( eu gosto de calor mas torrar...) a desidratação ( hoje corri 13 km e já despachei 3 litros de água).
    Agora, já que vai, que corra bem!
    E que as mazelas vos deixem, parece que anda tudo no estaleiro!
    Bjs e abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, JNR!
      Sempre que possível e quando o material é bom há que comprar o que é nacional. E nestas coisas não há que inventar: se é bom para o Sá é bom para nós!!
      Beijinhos

      Eliminar
  5. Muita força para o Paulo!
    Já te tinha dito uma vez, esta nunca seria uma prova para mim: areia... deserto.... Mas admiro quem luta por um objectivo difícil.
    Terá de ser etapa a etapada, dia-a-dia, mas tudo vai correr bem.
    Treinos na areia, agora deixaste-me a pensar... é que não é mesmo nada fácil! Se calhar fazia-me bem. :)
    Beijinhos e força.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada Rute!
      Tal como já disse, continuo a ter uma grande admiração por esta prova, ao ponto de querer fazê-la. Mas a verdade é que com o aproximar da data, com tudo o que é preciso organizar antes da prova, com tudo o que é preciso ter presente para o decursa da prova... Ufffff... Cansa!! Cansa muito!! :))
      Areia?? Sim, é um bom treino, sobretudo muscular! Vale por 20 idas ao ginásio!
      Beijinhos

      Eliminar
  6. Impressionante!
    O Paul Michel é um herói! Mas tu és uma heroína! Toda a paciência que tens com todos estes preparativos, toda a ajuda que dás, ter que assistir a tudo...mas à distância...Repito, o teu homem é um herói! Espectacular meter-se nesta aventura! Mas tu és uma heroína por tudo e mais alguma coisa! Parabéns aos dois!
    Muita FORÇA!
    Beijinhos grandes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredita que pensei que fosse mais fácil, até para mim. Está a ser difícil, principalmente, nestas últimas semanas, lidar com a pressão lá em casa. Andamos um pouco nervosos e a implicar com tudo... E com todos... :)
      Se no início tive muita pena de não ir fazer a prova também (pelas razões mais que óbvias) hoje acho que nunca terei a capacidade de a fazer. E não estou a falar da parte física, porque essa é treinar e treinar muito. Mas é preciso uma grande cabeça para isto tudo. E quanto a isso ele bate-me aos pontos.
      Beijinhos grandes e muito obrigada, Isa!

      Eliminar
  7. Muito sucesso para o Paul!!!
    Força!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada Jorge!
      Grande abraço!

      Eliminar
  8. Esse rapaz tem uma força de vontade que move montanhas! Muita força (ele tem!!) para essa aventura!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mesmo, Maria!! Mesmo!!
      Obrigada! Beijinhos

      Eliminar
  9. Leio as tuas crónicas e delicio-me com as descrições. Tenho muita força, vontade e espírito de sacrifício, mas não sei se seria capaz de sacrificar o meu corpo a esse ponto. Muita força ao Paul e a ti, que acompanharás via net.FOOOOOOOOOOOOORÇA!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ó Nuno, não digas isso! Tu és um exemplo de alguém que se supera a cada dia. Repara bem nas tuas conquistas. Tens sido uma inspiração de alguém que luta e corre com muita garra! Típico dos alentejanos, meu caro amigo (recordo que eu tenho uma costela alentejana, hein!)
      Beijinhos

      Eliminar